HomeNotíciasDESCONFINAMENTO: Pico superado em quase toda a Europa. Bulgária é excepção

DESCONFINAMENTO: Pico superado em quase toda a Europa. Bulgária é excepção

Segundo a directora do Centro Europeu de Controlo de Doenças, há um “declínio generalizado” da transmissão na Europa. Além da Bulgária, há quatro países “sem diferenças substanciais”.

A vaga inicial de transmissão da covid-19 na Europa já passou o seu pico, sendo a Bulgária o único país que regista ainda um aumento de casos, indicou esta segunda-feira a directora do Centro Europeu de Controlo de Doenças (ECDC).

Numa videoconferência com a comissão de Saúde Pública do Parlamento Europeu, Andrea Ammon indicou que os dados mais recentes revelam que, “aparentemente, a vaga inicial de transmissão já passou o seu pico, com um declínio generalizado” do número de casos de infecção nos países da União Europeia e do Espaço Económico Europeu mais Reino Unido. Actualmente, “só há um país com um aumento da incidência e quatro sem diferenças substanciais”.

Instada pelos eurodeputados a nomear os países em questão, a directora do ECDC especificou que o país que ainda regista uma curva ascendente na incidência de transmissão é a Bulgária, enquanto os quatro outros países “sem diferenças substanciais” na incidência de transmissão nos últimos 14 dias são a Polónia, a Roménia, a Suécia e o Reino Unido.

Na sua intervenção, a directora da agência sediada na localidade sueca de Solna defendeu que, no processo de desconfinamento que começa a acontecer um pouco por toda a Europa face à diminuição da incidência de transmissão do novo coronavírus, deve haver “uma gestão das expectativas das pessoas”.

“Isto é uma maratona, não é um sprint. Provavelmente já terão ouvido isto, o que não quer dizer que não seja verdade. As expectativas das pessoas relativamente à situação da pandemia e da duração dos efeitos que continuará a ter nas suas vidas no futuro previsível tem de ser gerida. Isto não vai acabar em breve, e as pessoas devem preparar-se mentalmente para tal. No mesmo sentido, não podemos baixar as nossas guardas durante o levantamento progressivo das medidas restritivas”.

Andrea Ammon reforçou ainda que “as pessoas devem ser recordadas permanentemente de que este vírus não se vai embora enquanto não tivermos uma vacina”.

Andrea Ammon reforçou ainda que “as pessoas devem ser recordadas permanentemente de que este vírus não se vai embora enquanto não tivermos uma vacina”.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 245 mil mortos e infectou mais de 3,4 milhões de pessoas em 195 países e territórios. Mais de um milhão de doentes foram considerados curados.

Para combater a pandemia, os Governos mandaram para casa 4,5 mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), encerraram o comércio não-essencial e reduziram drasticamente o tráfego aéreo, paralisando sectores inteiros da economia mundial.

Face a uma diminuição de novos doentes em cuidados intensivos e de contágios, alguns países começaram a desenvolver planos de redução do confinamento e em alguns casos a aliviar diversas medidas, o que acontece nesta segunda-feira em Portugal e diversos outros países europeus.

Fonte: PÚBLICO

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisment -

Popular