HomeMissõesIgreja Perseguida2 missionários sequestrados no Haiti são libertados, diz Christian Aid Ministries

2 missionários sequestrados no Haiti são libertados, diz Christian Aid Ministries

Dois dos 17 membros de um grupo missionário majoritariamente americano e cinco crianças sequestradas no Haiti há mais de um mês foram libertados, disse o Christian Aid Ministries, com sede em Ohio, que os enviou em uma viagem missionária.

Os dois que foram libertados estão “de bom humor e estão sendo cuidados”, disse o ministério em um comunicado no domingo, enquanto ocultava seus nomes, localização atual ou razões para sua libertação.

“Louvamos a Deus por isso! Apenas informações limitadas podem ser fornecidas ”, continuou o CAM, solicitando que aqueles que possam ter informações mais específicas sobre a divulgação“ protejam essas informações ”.

Leia a declaração completa abaixo:

Soubemos que dois dos reféns no Haiti foram libertados. Louvamos a Deus por isso! Apenas informações limitadas podem ser fornecidas, mas podemos relatar que os dois reféns que foram libertados estão seguros, de bom humor e sendo cuidados.

Não podemos fornecer ou confirmar os nomes das pessoas liberadas, os motivos da liberação, de onde são ou sua localização atual. Pedimos que aqueles com informações mais específicas sobre a divulgação e os indivíduos envolvidos protejam essas informações.

Nós o encorajamos a continuar a orar pela resolução completa desta situação. Enquanto nos alegramos com esta libertação, nossos melhores votos às quinze pessoas que ainda estão sob custódia. Continue levantando os reféns restantes para o Senhor.

“Grande é o Senhor e muito digno de louvor; e sua grandeza é inescrutável ”(Salmo 145: 3).

O grupo de missionários, incluindo seis homens, seis mulheres e cinco crianças, foi sequestrado em 16 de outubro pela gangue de 400 Mawozo, que exige um resgate de US $ 17 milhões por sua libertação.

Desde o sequestro dos missionários, o líder da gangue Wilson Joseph ameaçou “colocar uma bala na cabeça deles” se seu pedido de resgate de US $ 17 milhões para sua libertação não for atendido.

“Nós encorajamos você a continuar a orar pela resolução completa desta situação”, acrescentou o CAM.

Os cristãos sequestrados têm idades entre 8 meses e 48 anos.

O Conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, Jake Sullivan, disse anteriormente que o presidente Joe Biden continua a ser informado diariamente sobre o sequestro dos missionários, observando que ele estava particularmente preocupado com as cinco crianças do grupo.

“Eu pessoalmente atualizo isso todos os dias ao presidente, que está muito interessado em garantir que cada uma dessas pessoas chegue em casa com segurança”, disse Sullivan.

Joseph, que se acredita ser o líder da gangue 400 Mawozo, foi o assunto de uma campanha de pôsteres de busca lançada pela polícia no ano passado. Joseph enfrenta acusações, incluindo assassinato, sequestro, roubo de carro e sequestro de caminhão.

A gangue também foi acusada de sequestrar cinco padres e duas freiras no início deste ano. Eles também são responsáveis ​​por 80% dos sequestros no país entre junho e setembro, disse ao The Washington Post Gédéon Jean, diretor do Centro de Análise e Pesquisa de Direitos Humanos de Porto Príncipe.

A empobrecida nação caribenha está lutando contra as consequências sociais e políticas do assassinato do presidente Jouvenal Moïse em julho. E o Haiti ainda não se recuperou de um terremoto de magnitude 7,2 que matou mais de 2.200 pessoas em agosto.

Pelo menos 628 sequestros foram registrados no Haiti desde janeiro, mostram dados divulgados no mês passado pelo Centro de Análise e Pesquisa em Direitos Humanos. Vinte e nove dos sequestrados são estrangeiros.

O Centro de Análise e Pesquisa em Direitos Humanos informou que os sequestros aumentaram 300% entre julho e setembro, com mais de 221 sequestros durante esse período.

O Escritório Integrado da ONU no Haiti afirmou em um relatório de fevereiro que houve 234 sequestros nos 12 meses anteriores, um aumento de 200% em relação ao ano anterior.

As autoridades haitianas relataram 1.380 assassinatos em 2020.

No início deste mês, o Departamento de Estado dos EUA pediu aos americanos que “saiam do Haiti agora”.

“O Departamento de Estado exorta os cidadãos americanos a fazer planos para deixar o Haiti agora por meios comerciais. Os cidadãos norte-americanos devem considerar cuidadosamente os riscos de viajar ou permanecer no Haiti à luz da atual situação de segurança e dos desafios de infraestrutura ”, disse um comunicado da Embaixada dos Estados Unidos no Haiti.

Fonte: Por Anugrah Kumar , contribuidor do CP

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisment -

Popular